A vida em tons de cinza - Ruta Sepetys
SBN-13: 9788580410167
ISBN-10: 8580410169
Ano: 2011 / Páginas: 240
Idioma: português
Editora: Arqueiro


 "No auge do inverno, finalmente percebi que dentro de mim havia um verão invencível." — Albert Camus


Um livro para se aprender a viver a vida seja em que cores ela se apresentar. Uma coisa que afeta quase todas as minhas possibilidades de curtir os pequenos momentos de felicidade é que eu sou muito ansiosa. Se eu tenho um problema mais ou menos grave, eu já não consigo viver ou pensar em outra coisa, nem fazer nada normalmente.
É por isso também que estou sempre lendo, é a minha fuga e agora me caiu em mãos justamente A vida em tons de cinza. Nada pode atrapalhar mais os seus sonhos de que ser arrastada de casa para um destino incerto condenada a trabalho escravo e vendo pessoas morrerem por meros gestos de desobediências. Isso acontece com Lina, sua mãe, Elena, e seu irmão, Jonas, também o pai, mas esse é separado deles.
Os soviéticos os levam dentro de um apertado vagão de trem, junto com outros lituanos, onde muitos morrem devido à fome e falta de condições de higiene, para um campo de trabalho forçado na Sibéria. Eles são chamados de criminosos, prostitutas e sofrem todos os tipos de humilhação, tendo que trabalhar duro para receber pouca comida.
Lina era uma menina de quinze anos com um grande talento para o desenho e uma vida promissora interrompida por esse pesadelo sem fim. Enquanto outros na mesmo jornada perdem os motivos para viver, ela o reencontra no desejo de permanecer com a mãe e o irmão, de reencontrar o pai e contar tudo o que eles enfrentaram através dos seus desenhos.
A vida não acontece quando você sai daquela situação que está oprimindo ou incomodando. Eu não posso falar para o meu cérebro ' agora, você dorme' ou ' agora trabalha, não pense nisso'. Mas eu tenho que saber que a vida é agora, a vida é quando você está doente, mesmo que seja muito grava, a vida é quando alguém muito amado morre e você não pode fazer nada, a vida é quando você está desempregada, desesperado, em meio a uma guerra, quando você não sabe o que fazer da sua vida. E você nunca sabe, ter segurança quanto ao futuro deve ser um privilégio raro em qualquer época e região. A vida pode terminar amanha levando as oportunidades de viver, apesar de tudo. Lina vive apesar de tudo, nada lhe tira a esperança de continuar vivendo. Ela segue de olhos abertos para o que ainda existe de bom que os inimigos não podem lhe roubar, os seus desenhos, a amizade de algumas pessoas, o carinho de Andrius, o amor pode brotar nas piores circunstâncias. 
Mesmo quando separada das pessoas que ama, transferida para o Ártico, cercada por gelo e fome e vendo todos morrerem e sofrerem, ela acredita que vale a pena viver e ela ainda quer viver.
Além de Ruta Sepetys contar uma parte da História ignorada por muitos, o romance é uma grande lição de esperança, de força interior, embora tantas tristezas sejam descritas nele, há algo de lindo na coragem e união dessas pessoas.


2 Comentários

  1. Olá, Daniele.
    Eu tenho esse livro, mas ainda não o li. Na verdade, quase o troquei um dia desses. Sorte não ter feito. Pela sua resenha, em convenci a lê-lo. Parece ter um enredo profundo e enriquecedor.
    Ótima postagem.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de reinauguração. Serão quatro vencedores!

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Confesso que ainda não conhecia o livro, mas parece ser tão filosófico e enriquecedor, que vale a pena dar uma chance. Parece fazer bem meu estilo, rs.

    Abraços,
    ser-escritora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar meu espaço. Fico muito feliz com comentários, mas apenas sobre a postagem. Opiniões, elogios e críticas construtivas são bem-vindos.
Para outros assuntos, use o formulário de contato.