O verão que mudou a minha vida


Esse é o primeiro livro da série e é como uma apresentação da protagonista Isabel- Belly e as pessoas que são importantes para ela. O encanto desse livro é que há um lugar especial que junto com o verão traz os melhores dias na vida da garota. Graças a amizade da mãe, Laurel, com Suzanah, Belly sempre passa o verão em Cousins com os amigos Conrad e Jeremiah. Os dois irmãos, a mãe deles, Suzanah, e a casa na praia representam a parte da vida que Belly mais ama. As tentativas de se juntar ao grupo restrito masculino, as brincadeiras, a paixão infantil por Conrad, o mútuo entendimento com Jeremiah, tudo é muito intenso e faz ela querer que o verão nunca acabe.



Sem você não é verão


O ritimo dessa parte é muito rápido e cruel, os acontecimentos da vida de Belly, tudo o que ela sempre sonhou parece se realizar para ser transformado algumas páginas à frente. A história também é contada um pouco pelo ângulo de Jeremiah e conhecer melhor Jeremiah e os sentimentos dele nos faz questionar se Belly escolheu o irmão certo. Pode-se argumentar que amor não se escolhe, mas às vezes insistimos em um sonho distante e deixamos de enxergar uma realidade muito melhor à disposição bem na nossa frente.

 




Sempre teremos o verão



 

Felizmente esse é o ultimo livro, felizmente porque as coisas meio que desandaram aqui. Os livros anteriores são sobre os sentimentos de Belly, mas nunca parece que é uma novela sem fim. Esse parece com uma novela com um eterno triângulo amoroso. Belly e Jeremiah estão em um relacionamento firme e durante toda a leitura, eu podia prever a escrita, é possível o leitor perceber que há um tempo sendo desperdiçado em acreditar naquele amor de Belly e Conrado, torcer para o casamento dar certo. Ao mesmo tempo, você tem que se esforçar para não amar esse casal, porque o final é muito previsível, embora a narração em primeira pessoa sob o ponto de vista de Belly faz parecer que ela tem certeza que ela ama Jeremiah e que Conrad ficou no passado. Foram muitas páginas perdidas em uma história que não era para ser. Mesmo que toda história de amor valha a pena, inclusive as que não são eternas, seria melhor focar no que era para ser a história de amor do livro, Belly e Conrad. Foi difícl comprar que ele a amava tanto que preferiu vê-la com o irmão e foi difícil comprar que ela passou dois anos com Jeremiah sem perceber que ainda amava Conrad. Em todo o caso, a trologia vale pelos dois primeiros livros.


Deixe um comentário

Obrigada por visitar meu espaço. Fico muito feliz com comentários, mas apenas sobre a postagem. Opiniões, elogios e críticas construtivas são bem-vindos.
Para outros assuntos, use o formulário de contato.