Tenho um problema com tags e memes, quando me indicam eu não gosto e finjo que não vi, quando eu gosto ninguém me indica e eu tenho que roubar, porque pelo menos aqui eu tenho que ser desinibida. Já faz tempo que leio esse em vários blogs e agora resolvi responder, O último blog em que encontrei foi em O céu de Alexandria.


1.Vox Populi (um livro para recomendar a toda a gente)

Acredito que  O Cortiço de Aluízio Azevedo é uma leitura obrigatória para os brasileiros, não por motivos de escola ou vestibular, mas pela própria necessidade de se conhecer mais as nossas raízes. Pode ser que ele tenha uma visão um tanto estereotipada, mas lembrem-se que o livro trata justamente não de indivíduos, mas de um conjunto, o cortiço da obra é quase um organismo vivo. É um livro que tem sua parte divertida, a alegria das pessoas simples, o suor dos trabalhadores, a batalha diária.  Não consigo pensar em Bertoleza sem ter vontade de chorar.



2. Maldito Plágio (um livro que gostaríamos de ter escrito)


As Meninas de Lygia Fagundes Telles, não é à toa que eu amo esse livro, que eu escrevi meu TCC sobre ele e que eu já li tantas vezes que tenho as falas decoradas. As meninas são diferentes, mas eu consigo me identificar com cada uma delas, cada uma tem características minhas, Aninha nem tanto porque ela é muito lascada na vida, mas ainda dá pra pegar a situação financeira ¬¬, a frescura, o lado sonhador, romântico e nada prático de Lorena, a ideologia e vontade de mudar o mundo de Lia. 

"Ouço duzentos e noventa e nove vezes o mesmo disco, lembro poesias, dou piruetas, sonho, invento, abro todos os portões e quando vejo a alegria está instalada em mim."
Lygia Fagundes Telles - As MeninasLoreninha

3. Não vale a pena abater árvores por causa disso


Isso é cruel! Há pouco tempo, eu colocaria vários livros nessa categoria, mas hoje eu sou uma pessoa mais piedosa,rs. Acredito que cada livro tem seu leitor e todos merecem respeito.




4) Não és tu, sou eu (um livro bom, lido na altura errada)


Eu sempre me esforço pra tirar o maior proveito do que leio, mas algumas vezes pode não ser o momento adequado. Acredito que foi o que aconteceu com A paixão segundo G.H. de Clarice Lispector, eu não me conectei com o livro e ainda não consegui sentir o que os outros dizem sentir por ele.



5) Eu tentei... (um livro que tentamos ler, mas não conseguimos)


Nunca consegui terminar Os cus de Judas de António Lobo Antunes, ele foi muito elogiado pela minha orientadora na faculdade, os colegas que leram gostaram e eu simplesmente nem sei do que se trata. Todas as vezes que tentei ler eu viajava pra outra dimensão enquanto lia mecanicamente e não entendia nada. Um dia quem sabe...



6) Hã? (um livro que lemos e não percebemos nada OU um livro com final surpreendente)


Eu vou falar sobre um que eu não entendi quando li pela primeira vez, Ópera dos Mortos de Autran Dourado. A primeira vez que o li eu era muito inexperiente como leitora para entender principalmente o final. Eu fiquei fascinada pela narrativa dele, assustada com as partes que me lembravam assombrações. Mas foi só na segunda leitura que consegui realmente entender o que se passou com Rosalina. Aliás, eu recomendo muito esse livro, ele é incrível, surpreendente, envolvente, a capa é perfeita. Leiam!




7) Foi tão bom, não foi? (um livro que devoramos)


Sou muito agradecida a esses livros e ao fato de que sempre tem muitos livros que eu consigo devorar. Vou responder com o último dessa categoria. A ascensão do Governador. A leitura dele foi movida pelo suspense, eu sempre precisava ler mais e mais e quando vi, acabou. Mas ainda tem dois pela frente e eu que não sou fã de trilogia, fico feliz de saber que certamente os outros dois também vão ser facilmente devoráveis. Ao menos isso, as trilogias têm a obrigação de ser.





8) Entre livros e tachos (uma personagem que gostaríamos que cozinhasse para nós)


 Sinceramente, até agora não consegui lembrar de um personagem que cozinhe bem. É o tipo de detalhe que eu não gravo.



9) Fast forward (um livro que poderia ter menos páginas que não se perdia nada)

A trilogia de Cinquenta Tons de Cinza. Sei que até hoje ninguém me perdoa por ter gostado dessa história, mas uma vez ou outra eu tenho queda por romances água com açúcar com algum estranho tempero no meio. Só de vez em quando. Ele não só poderia ter menos páginas, como poderia ser um livro único. Aliás, eu tenho muita preguiça pra trilogias.



10) Às cegas (um livro que escolheríamos só por causa do título)

Eu escolho vários livros pelo título, essa é a verdade sobre mim. Já li vários assim, sem nem ver o enredo e não me arrependi. Um bonde chamado Desejo de  Tennessee Williams é um que eu já tinha vontade de ler só pelo título, acabei sabendo do que se trata pelo relato de amigos, mas eu iria lê-lo algum dia mesmo sem saber do que se trata só porque tem um título ambíguo e sugestivo.


11) O que vale é o interior (um livro bom com a capa feia)

Orígenes Lessa é um autor não badalado que eu gosto muito e os livros dele que eu li não tem lá uma capa super caprichada.  A desintegração da morte me impressionou muito, li na adolescência, então já faz um tempo, mas ainda é um dos que mais me marcou. Olhando pela capa, talvez eu não achasse que ele é isso tudo.










12) Rir é o melhor remédio (um livro que nos tenha feito rir)


Eu não sou de ler comédia, nem de assistir comédia, então essa é difícil escolher. O livro que li que chegou mais perto isso é O diário de Bridget Jones, ela passa por situações que chegam a ser cômicas de tão trágicas e vice-versa.



13) Tragam-me os Kleenex, faz favor (um livro que nos tenha feito chorar)

Eu vou em uma escolha bem clichê. Se poucos livros me fizeram rir, muitos me fizeram chorar. Ok, preciso ler menos ou mudar de gênero. O do momento não poderia deixar de ser A culpa é das estrelas. Malditas estrelas, maldito universo. Por que a vida tem que ser assim?



14) Esse livro tem um V de volta (um livro que não emprestaríamos a ninguém)

Eu grifo meus livros nas partes que eu acho bonitas, e -me matem- se não tiver caneta por perto, eu dobro a folha pra lembrar. Ninguém pode fazer mais mal aos meus livros do que eu própria. Também não tenho nenhuma edição de luxo que precise ser guardada em cofre especial. Por isso, não ligo em emprestar, desde que eu tenha certeza que a pessoa vai devolver inteiro e sem marcas, porque meus livros só quem pode grifar sou eu.




15) Espera aí que eu já te atendo (um livro ou autor que estamos constantemente a adiar)

A cor púrpura de Alice  Walker. Não sei porque eu faço isso comigo, quero muito ler esse livro, mas sempre há outros e outros, alguns furam a fila e por aí vai. Desse ano não passa.


3 Comentários

  1. Menina, que meme interessante, gostei demais.
    Bem, eu sou do time que acredita que a trilogia "Cinquenta Tons" não vale o desmatamento das árvores, tadinhas. Achei um livro bem ruim - e nem foi a história, mas sim a narrativa rasa e cheia de erros mesmo. Mas concordo contigo, não precisavam tantas páginas.
    "A Paixão Segundo G. H." também não tive paciência. Consegui gostar de outras obras da Lispector, mas até hoje não me adaptei a essa.
    "Os Cus de Judas" é maravilhoso, principalmente para quem nunca leu Lobo Antunes. Percebi que os livros dele são iguais, sempre em torno do mesmo tema. A guerra.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Que legal esse meme!
    Eu já li "O Cortiço", "A Culpa é das Estrelas" e "Bridget Jones" e gostei de todos eles. Eu tinha uma professora na faculdade que sempre falava desse livro Os Cus dos Judas, mas nunca me interessei em lê-lo. "A Paixão Segundo G.H." eu tenho curiosidade de ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Eu adoro responder tags e memes, principalmente se forem sobre livros! *-*
    Como leitura obrigatória eu concordo com você com relação a O Cortiço, e eu poderia até mesmo acrescentar Dom Casmurro. São duas criações maravilhosas e instigantes que o mundo inteiro deveria conhecer, e não só os brasileiros.

    Beijos,
    Cenas do meu livro de memórias | Fanpage do Blog

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar meu espaço. Fico muito feliz com comentários, mas apenas sobre a postagem. Opiniões, elogios e críticas construtivas são bem-vindos.
Para outros assuntos, use o formulário de contato.