Crônica


No finalzinho do último capítulo, ela percebe que não faz parte da história, nem como uma amiga qualquer dos coadjuvantes. No máximo uma figurante sem nome, daquelas que aparece em uma sala cheia de gente. Puramente mais uma na multidão. Não é a típica mocinha, nem linda,nem loirinha,nem doce e radiante, ela não chama a atenção por onde passa, mas aprendeu que nos dias atuais os personagens contam sua própria história e alguém pode muito bem invadir a cena e assassinar o ideal de perfeição. Se sua imagem não permite ser a protagonista talvez seja melhor se aceitar como vilã e roubar essa história antes que chegue ao fim. Levantar no meio da multidão e falar, prazer, eu existo.





Um Comentário

  1. Um dos textos que mais me encantam são as crônicas.
    Fiquei feliz com sua visita em meu blog/página.

    Obrigada por comentar, seguindo aqui, e favoritei na fan page.
    Um beijo querida. ♥

    ResponderExcluir

Obrigada por visitar meu espaço. Fico muito feliz com comentários, mas apenas sobre a postagem. Opiniões, elogios e críticas construtivas são bem-vindos.
Para outros assuntos, use o formulário de contato.