Livro muito útil para quem está começando na carreira. Gostaria de ter lido na época da faculdade, mas é bem diferente dos livros de teoria que nos oferecem.
Conversa com um jovem professor, como o título sugere, é mais como um conversa com um colega mais experiente que está disposto a contar os seus erros e acertos e dar alguns conselhos.
Melhor ainda porque é uma conversa com alguém que certamente ama a profissão.
Quantas vezes não conversamos com colegas que só transmitem a sua descrença com a Educação?
- Os alunos não querem nada, a sociedade não nos valoriza, vamos fazer de qualquer jeito que está bom.
- Os alunos fingem que estudam, a gente finge que ensina, o governo finge que acredita.
Tenho certeza que muitos já ouviram isso, porque, como diz Leandro Karnal, o professor é o único profissional que se orgulho de não ser eficiente, de fazer o trabalho de qualquer jeito. Eu já deixei me levar por essas pessoas, mas hoje sinto que tenho um novo gás, uma vontade de tentar fazer diferente.
Nós podemos e devemos reclamar dos problemas, da falta de disciplina, dos salários baixos, da falta de conforto nas escolas. Mas acredito que devemos tentar fazer o melhor e sermos o melhor possível, ou mudar de profissão.
Lendo Conversa com um jovem professor, percebo que para esse docente experiente houve muitas dificuldades também. Não é como aquela coordenadora, orientadora, diretora, que nunca enfrentou sua sala de aula, mas acha que pode falar o que você deve fazer.
Ele dá conselhos de como agir do primeiro dia de aula ao dia da prova e correções. Enfim, coisas que não vemos na faculdade. Chegar sorrindo? Chegar de cara fechada?
Lembro até hoje de quando eu estudava e chegou um professor novo. No primeiro dia ele gritou muito com a turma e tirou dois alunos da sala. O professor que entrou depois dele falou que isso era insegurança e outras coisas que eu achei impróprias e antiéticas da parte dele se referindo ao colega.
Mas nós estamos em uma profissão assim, não há muita cumplicidade, todos querem ser os melhores. Em um dos primeiros empregos, uma 'colega' entrou em minha sala e, vendo, que eu tinha um problema com uma aluna, ela resolveu se meter para falar que ela tem experiência desde a época dos dinossauros e na sala dela os alunos fazem o que ela quer. Me senti péssima, no momento, porque ela não queria me dar uma dica e sim se mostrar muito eficiente para a minha turma.
Professores quase aposentados e diretores adoram se exibir para sua turma mostrando que sabem mais do que você, até que você prove o contrário e eu garanto que eu provei.
Como esse tipo de experiência, fui percebendo que todos têm razão quando falam que nossa classe é desunida, mas eu nunca pretendo ser assim. Leandro Karnal aconselha o silêncio em salas de professores no lugar de posições fortes que podem gerar falatório e fuxicos e eu concordo. Prefiro o silêncio a dar opiniões pessoais sobre alunos e professores. Um ambiente profissional deve ser tratado como tal.
Eu me senti muito amparada com esse livro. Sabe quando um diretor fala que isso é fácil, a turma o escuta perfeitamente nos 5 minutos que ele entra na sala, que você tem que ser mais dinâmico e você sabe que o único recurso que falta usar é fazer um poli dance no meio da sala? Nos sentimos desamparados com colegas perfeitos, outros que já desistiram e diretores/coordenadores que não lembram o que é ser professor.
É bom ter uma palavra amiga, sinto-me amparada e renovada para atuar em 2017.

Já recomendei o livro aos meus colegas e recomendo a quem está lendo aqui, se é professor ou pretende ser.


Não. Eu não terminei Anna Karenina. Eu sequer avancei nada na leitura. 
Apesar disso eu comecei A vida dos elfos, estava bem no começo daquela prosa poética que me causou um certo estranhamento e percebi que eu preciso começar de novo, porque prestei atenção na linguagem e não entendi bulhufas da história. 
Aí penso que estou acostumada demais com o mesmo estilo de escrita e tenho que me esforçar pra experimentar coisas novas.
Mas vai ficar pra depois porque eu também comecei O guia do mochileiro das galáxias e está me prendendo mais que os outros.
Também tem A primeira impressão é a que fica, que estou lendo com a intenção de saber como passar uma boa primeira impressão.
E Conversa com um jovem professor, que parece ter conselhos práticos sobre o trabalho na sala de aula.
E já que agora tenho Android, eu baixei o aplicativo do blogger para escrever textinhos como esse.

Categorias:

Parece que bateu uma preguiça geral em Novembro. Eu li pouco. Mas na verdade, comecei muitos livros que abandonei ou só não terminei ainda.
Foi um mês tranquilo, mas com boas notícias pra mim. Saiu minha nomeação no concurso de Macaparana e estou bem feliz com a possibilidade de começar a trabalhar, apensar dos problemas políticos, pois o novo prefeito não concorda em chamar concursados, aqui no interior de PE é assim, os políticos pensam que podem passar por cima da lei e usam cargos públicos como cabide de votos, mas faço minha parte e isso é o suficiente.
Ainda espero a homologação do concurso estadual e será mais uma boa possibilidade de começar o ano muito bem.
Por isso posso dizer que estou chegando ao fim do ano muito confiante. É muito bom ver o resultado do que plantamos com tanto esforço. Vou continuar nessa jornada de estudos porque ainda tenho muitos sonhos.
E seja o que for que eu conseguir, sempre quero um tempo livre para a leitura, ler é vida, minha vida não seria completa sem essas histórias inventadas por esses gênios fantásticos.



O que eu li em Novembro:


A insustentável leveza do ser  - Milan Kundera *****

Branca como o leite, vermelha como o sangue -  Alessandro D’Avenia ***

Diva - José de Alencar **

A vida secreta das abelhas - Sue Monk Kidd *****



Morando Sozinha - Fran Guarnieri  ***



Sim, foi pouco, mas também vi muitas séries, resolvi começar Black Mirror e 3% de tanto ouvir falar nessas séries e realmente são fantásticas. Também estou cada vez mais viciada em Supernatural e Greys Anatomy, poderia passar o dia assistindo, mas vamos com calma que eles ainda não pagam nossas contas pra isso.


A gente nem precisa ter grana pra dar aquela vontade de comprar tudo quando vê as lojas cheias de gente, todo mundo na internet falando em comprar. Mesmo sabendo que nossa black Friday está mais para fraude, nós noa animamos.
Como minha cidade é pequena, só uma loja me interessou, que foi a Americanas, mas estava lotada. A sessão de livros, que é o que me interessa, até estava vazia, mas eu não entendi bem as sinalizações de preços e achei mais em conta nas lojas online mesmo. 
A sessão de produtos para cabelos estava impossível de entrar, imagine um lugar pequeno, onde todo mundo quer estar ao mesmo tempo! Então acabei comprando só uns chocolates, lingerie e coisas pra casa, ah e minha agenda 2017.
Por essas e outras, prefiro as lojas online, não tem gente suada perto te empurrando, nem filas nos caixas, o triste é esperar vinte dias.

Não foi uma black Friday que me pegou em bom momento, mas deu pra comprar poucos livros e produtos de beleza. Eu sei que se eu não comprar nada o desconto é bem maior, rs, mas realmente comprei coisas necessárias. Meu cabelo está precisando de uma forcinha e bem, sempre precisamos de mais livros, certo? Dói bastante ter que deixar vários livros de fora, mas prometo que eles estarão comigo assim que eu estiver com meu emprego público estável - que está mais próximo do que nunca!

Esses foram os produtos que comprei no Beleza na Web:






Esses foram os livros que comprei no Submarino, que apesar de ter me decepcionado muito com o cartão, é um site que sempre gostei de comprar livros.

O Festim Dos Corvos 4ª Ed.
1 unidade - R$ 7,59 cada
A Dança Dos Dragões 4ª Ed.
1 unidade - R$ 7,59 cada
O Cavaleiro Andante 1ª Ed
1 unidade - R$ 11,93 cada
A Fúria Dos Reis 4ª Ed.
1 unidade - R$ 7,59 cada
A Tormenta De Espadas 4ª Ed.
1 unidade - R$ 7,59 cada

A Guerra Dos Tronos 4ª Ed.
1 unidade - R$ 7,61 cada



Com o frete os livros saíram por R$ 54,89






Eu adoro ver comentários sobre celular, antes de comprar o meu, então fiz esse vídeo pra tentar ajudar quem vai adquirir um Alcatel Pixi4, como eu. Para quem perguntou sobre a câmera, vou colocar umas fotos que tirei com ele.






Todas as próximas fotos e vídeos também serão feitos com ele. Eu até tenho uma câmera, mas passei tanto tempo sem usar que não tenho ideia de onde está o carregador,rs.